quarta-feira, 18 de abril de 2018

Jorge Sousa caseiríssimo em Alvalade

Jorge Sousa está a utilizar uma dualidade de critérios disciplinares gritante favoráveis ao clube de Alvalade
Os defesas sportinguistas: agarram, pisam, derrubam os avançados do FC Porto: Brahimi e Soares impunemente! Por outro lado, sempre que os do Sporting se atiram para piscina, Jorge de Sousa é muito rápido a assinalar falta contra os portistas...!

Que
está a fazer o António Perdigão no Porto Canal que não analisa (critica) as faltas atacantes atribuídas ao Soares e as faltas não assinaladas sobre Brahimi?! Nos lances do Soares, na luta com os defesa contrários, pode-se considerar que o Soares está a tentar conquistar a posição, ou não? Os defesas podem impedir por meios lícitos e ilícitos que Soares ganhe a posição?
Relativamente ao Brahimi que é impedido constantemente ilicitamente pelos defesas adversários de prosseguir com a bola, justifica-se os juízes do apito decidirem "no pasa nada"?!


Taça de Portugal
Quarta-feira, 18 Abril 2018 • 20:30 - Estádio: José Alvalade, Lisboa                
Sporting                       Meia-final, 2.ª mão                           FC Porto


                                                                       

Árbitro: Jorge Sousa (Porto)
Assistentes: Ricardo Santos e Nuno Manso (VAR: Hugo Miguel)
4.º Árbitro: Vítor Ferreira

Sporting: 1 Rui Patrício (c)
92 Piccini , 4 Coates , 22 Mathieu, 5 Fábio Coentrão
16 Battaglia, 20 Bryan Ruiz, 8 Bruno Fernandes
77 Gelson, 9 Acuña (78'), 28 Bas Dost
Suplentes: 18 Salin, 13 Ristovski , (71' Piccini)
25 Petrovic, 27 Misic, 40 Montero , (75' Fábio Coentrão)
66 Palhinha, 88 Doumbia , (106' Bas Dost)
Treinador: Jorge Jesus

FC Porto: 1 Casillas
2 Maxi, 28 Felipe (54'), 5 Marcano, 13 Alex Telles
16 Herrera (c)(67'), 10 Óliver , 25 Otávio
21 Ricardo, 8 Brahimi, 29 Soares
Suplentes: 26 Vaná, 9 Aboubakar , (65' Soares)
11 Marega, 17 Corona, 23 Reyes , (83' Óliver)
27 Sérgio Oliveira , (75' Otávio), 30 Diogo Dalot
Treinador: Sérgio Conceição


FC Porto derrotado nas grandes penalidades
Marcano acertou no poste

terça-feira, 17 de abril de 2018

Efeméride - Proeza dos portistas na Capital

No PASSADO, tal como ainda HOJE pouco relevo dão às vitórias do FCP
Aconteceu
Há 98 anos, o extinto diário portuense O Primeiro de Janeiro publicou um documento curioso.
Dias antes, o FC Porto tinha vencido o Benfica por 3-2, em Lisboa, e a imprensa da capital, com hábitos não muito distintos dos que atualmente pratica, optou por ignorar esse resultado. A indignação dos azuis e brancos foi manifestada pela pena de Alexandre Cal, o capitão da equipa. Em carta enviada ao jornal, escreveu: “Este ano, o FC Porto quis vencer, e venceu. E para isso trabalhou com vontade, desfazendo assim a ideia que muitos tinham de ser impossível tão cedo o Norte triunfar sobre o Sul. Eis a razão porque foi tão pouco falada (silêncio, nenhum relevo ao facto, da imprensa da capital) a vitória dos portuenses”.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

As opiniões do fanático Gomes da Silva

Já toda a gente sabe que Rui Gomes da Silva além intelectualmente desonesto, é faccioso fanático e consegue enxergar coisas que só ele vê. Coitado do homem, quando as coisas correm mal para o seu lado ele tem visões fantasmagóricas a agredirem e a torturarem os jogadores do clube da águia, que é o dele. É um personagem que pela sua conduta muitas vezes inconsistente e desfasada da realidade, merece ser objecto de estudo, mas nos locais próprios que são os hospitais psiquiátricos...
Dos especialistas em arbitragem
“Ricardo protegeu a bola, Zivkovik, embalado, procurou e não suportou o contacto, acabando por cair. Análise correta do árbitro, uma vez que não houve motivo para ser assinalado penálti”, escreveu Jorge Coroado.


Denunciar as manobras benfiquistas e exultar com o sucesso da equipa

Dragões Diário - De casa
O FC Porto “meteu toda a carne no assador” e bateu o Benfica por
1-0.
Herrera foi o “menino querido” a fazer o gosto ao pé, como “meninos queridos” foram todos os jogadores do Dragão. Todos sabemos que “hoje o Benfica manda mesmo” no que circunda o jogo, mas é falso que os outros “já não mexam nada”. A equipa de Sérgio Conceição mexeu e muito no jogo e o adversário acabou a questionar “o que passou se?”.

Destaque para a entreajuda dos nossos jogadores, como quem diz: “Sabes que estou e sempre estive ao teu lado”. É verdade que o Benfica entrou à procura de ser feliz, mas a resposta dos nossos jogadores foi inequívoca: “Temos de dar-lhe cabo da nota”. E deram. O FC Porto é líder do campeonato com toda a justiça e se alguém quiser contrariar esta ideia a resposta só pode ser: “Ainda querem me fazer atrasado mental”.

Com serenidade, pelo menos aparente, porque as emoções tinham sido fortes pouco antes, Sérgio Conceição lembrou que mexeu na equipa sempre para lhe dar força ofensiva e alertou que “
nada está ganho”, que “ainda há muito campeonato para disputar”.

Se alguém merecia ser feliz era Herrera, que destacou a fé da equipa na vitória: “
Acreditámos até ao fim que poderíamos vencer aqui, que é muito difícil. Estamos contentes, mas ainda nada acabou. Faltam quatro finais e não podemos errar”, disse o mexicano, ele que foi sucessivamente provocado na flash interview da BTV, tal como Sérgio Conceição, com um lance entre Zivkovic e Ricardo Pereira. Velhos hábitos de quem conta sempre com um empurrãozinho, mas o que Ricardo Pereira fez não foi isso, limitou-se a ganhar o espaço.

Jorge Nuno Pinto da Costa também comentou a vitória da equipa e garantiu que no FC Porto todos vão continuar a pensar “
jogo a jogo”.

domingo, 15 de abril de 2018

Sucesso da raça e da inspiração de Herrera

Grande noite, grande jogo de futebol entre duas equipas equilibradas...!
Mas além disso a grande satisfação pelos regressos à equipa dos craques indispensáveis: Corona e Marega. Estes regressos, dá-nos a nós portistas, muita confiança para os jogos que ainda faltam disputar, assim não voltem a acontecer quaisquer tipo de lesões a estes, ou a qualquer dos outros preponderantes jogadores da equipa.
Domingo, 15 Abril 2018 • 18:00 - Estádio: da Luz Benfica, Lisboa

Benfica                         30.ª jornada                               FC Porto


                                                               

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
Assistentes: Rui Licínio e Paulo Soares
4.º Árbitro: João Pinheiro - VAR: Tiago Martins

Benfica: 30 Bruno Varela
34 André Almeida (62'), 33 Jardel (c), 66 Rúben Dias, 3 Grimaldo (81')
5 Fejsa, 21 Pizzi , 17 Zivkovic, 27 Rafa , 22 Cervi , 9 Raúl Jiménez
Suplentes: 1 Svilar, 4 Luisão, 19 Eliseu, 7 Samaris , (74' Cervi)
18 Salvio , (66' Rafa), 90 João Carvalho, 14 Seferovic , (87' Pizzi)
Treinador: Rui Vitória

FC Porto:
1 Casillas
21 Ricardo, 28 Felipe, 5 Marcano, 13 Alex Telles (72')
27 Sérgio Oliveira (39'), 16 Herrera (c) (90+2')
25 Otávio (59'), 8 Brahimi, 11 Marega, 29 Soares
Suplentes: 26 Vaná, 23 Reyes, 2 Maxi, 10 Óliver Torres ,
(74' Sérgio Oliveira), 7 Hernâni, 17 Corona , (80' Otávio)
9 Aboubakar , (83' Soares)
Treinador: Sérgio Conceição


Um golo num remate espectacular do Herrera aos 90'

Destaques

Pela positiva pois toda a equipa deu boa conta do recado! Uns mais e outros menos.
Toda a defesa actuou em bom plano com particular evidência dos centrais
No meio campo Herrera superiorizou-se ao seu colega S. Oliveira
No ataque: Soares como sempre muito combativo mas sem acertar na baliza.
Marega, dado o seu poder físico e velocidade de pernas foi um quebra cabeças para a extrema defesa encarnada, só teve o contra da desafinação dos remates devido à paragem a que esteve forçado por lesão. Brahimi e Corona prometeram muito mas não conseguiram ser decisivos...

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Contrastes_Decisões da CD

Contrastes - Lance com Yebda no Restelo vale repreensão a Soares

 Soares jogador do FC Porto foi objecto de sumaríssimo que deu repreensão, por desaguisado de “lana-caprina” com Yebda
No entanto os jogadores benfiquistas Fejsa, Jardel e Ruben Dias podem "pisar o risco à vontade" impunemente, pois nada lhes acontece.
E até facto incrível, lhes perdoam o mais que justificado segundo amarelo e consequente expulsão dos jogos

«Arbitragem ofereceu dois pontos ao Benfica»

Árbitro beneficia Benfica em jogo contra Sadinos

Francisco J. Marques atirou-se à arbitragem de Luís Godinho, relativamente ao V. Setúbal-Benfica. No programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal, o diretor de comunicação e informação do FC Porto considera que não havia razões para marcar penalti no lance entre Luís Felipe e Salvio. Marques refere ainda que o árbitro foi responsável pelo afastamento permaturo do Sporting da luta pelo título, recordando o jogo com o Sp. Braga.
"A conclusão é clara e evidente. O árbitro Luís Godinho tem dois critérios. Um nos jogos e jogadas do Benfica e um outro critério para as outras equipas. É especialmente grave porque colocar um carimbo muito grave.
Trata-se de um árbitro muito jovem, salvo erro 31 anos, que até tem qualidade para se conseguir libertar destas amarras ao Benfica.
Este ano pode ficar ligado à decisão do campeonato. Foi arbitrar o Sp. Braga-Sporting e deixou por assinalar um penálti sobre Bas Dost muito mais claro do que o outro que assinalou no Bonfim.
Depois expulsou o Piccini, por segundo amarelo, em lance muito menos grave que as entradas do Rúben Dias. Luís Godinho tirou o Sporting da luta do título, levando a que se atrasasse.
O Benfica estava empatado no Bonfim, perdoou amarelos a Fejsa, Jardel e Rúben Dias, neste caso com um segundo amarelo que retirava do jogo e do clássico. Depois marcou um penálti mais do que duvidoso a favor do Benfica. Mais do que outros lances em jogos do FC Porto com Moreirense ou Tondela. Onde não apitou. Há claramente um critério", afirmou.
O dirigente portista falou ainda do clássico de domingo, considerando que Jardel, Fejsa e Rúben Dias não deveriam jogar essa partida.
"O clássico de domingo vai começar já manchado. Jardel, Rúben Dias e Fejsa não deviam jogá-lo. Deviam estar a cumprir castigo. Se Godinho usasse o mesmo critério, com Fejsa a saltar com o cotovelo e a ver cartão amarelo, se calhar os outros já não faziam aquele tipo de faltas e não paravam ataques do V. Setúbal. Isto tem de facto influência.
É grave para um árbitro tão jovem, que teve a felicidade de ser escolhido para ser um dos 'internacionais-proveta', que começou a apitar na 1.ª Liga em 2015/16 e em novembro passou a internacional sem ter apitado um jogo das principais equipas, onde há pressão forte, com jogos mais escrutinados, tendo os adeptos em cima. E que dão tarimba para se ser internacional.
Foi promovido com 14 jogos da Liga, substituindo Sérgio Piscarreta, outro 'proveta' que foi designado internacional com dois jogos e depois foi despromovido. Godinho até acho que tem qualidade, mas talvez por gratidão sem limites a quem o colocou como internacional, o senhor Ferreira Nunes, está subjugado ao mesmo interesse. Godinho tem de se libertar disso.
Pode vir a fazer uma carreira importante e ser um internacional de mérito. A própria UEFA olha para estes árbitros, e a FIFA recomenda dois anos a apitar no próprio país, mas antes de mais têm conquistar a confiança de todos os competidores. Como isso é possível depois do que aconteceu em Setúbal?
Godinho ofereceu, pelo menos, dois pontos ao Benfica. Para os jogadores do Benfica seguiu um critério de basquetebol, onde não é permitido contacto. Para os outros aplicou um critério de futebol americano", referiu, para depois concluir:
"Já vi jogos do Luís Godinho de equipas do meio da tabela e desempenhos ótimos. Quando arbitra o Benfica ou o FC Porto... No
Moreirense-FC Porto, todos vimos, no ano passado. O Braga-Sporting... Parece que tem o ralo a convergir para o Estádio da Luz.
No duplo amarelo ao Nuno Pinto, na Luz, a primeira falta não é falta, é um corte limpo sobre o Salvio, que faz também aquele teatro todo. O jogador faz um carrinho e vai a deslizar, o Luisão salta, arrasta o pé esquerdo e eis o segundo amarelo. Como é que podemos aceitar que depois não mostre o amarelo ao Fejsa, ao Jardel e ao Rúben Dias? Não é compreensível".

domingo, 8 de abril de 2018

Esteve no Dragão um Aves amigo do Benfica

Tal como com o Belenenses em Belém, inicialmente estranhei a atitude excepcionalmente aguerrida da equipa do Aves, mas depois de ver gente afecta ao clube da águia na equipa técnica e não só, compreendi...
Destaques na equipa portista
Pela positiva

Ricardo, Felipe, Marcano e Alex Telles
Herrera um monstro de energia e combatividade no meio campo. Oliver entrou bem e a justificar mais oportunidades...
No ataque, só Soares justificou a sua convocação, porque Aboubakar parece-me descrente
Pela negativa
Sérgio Oliveira continua lento de pernas e só parece ter folego para 45' ...!
Otávio alternou bons apontamentos com perdas de bola comprometedoras

Brahimi idem aspas, ou seja, o mesmo que o Otávio
Hernâni é um caso de estudo. Se o Mr. Sérgio o pôs a jogar é porque ele se aplica nos treinos. Mas então porque será que o Hernâni não rende nos jogos a sério? Quer-me parecer que o problema do Hernâni é da sua personalidade: fragilidade psicológica! Não será?


Ficha técnica do jogoFC Porto                       29.ª Jornada                       Aves
                                                       

Árbitro: Nuno Almeida (Associação de Futebol do Algarve)
Assistentes: António Godinho e Paulo Ramos
Quarto árbitro: Hélder Lamas. VAR (videoárbitro) Vasco Santos e Luciano Maia.

FC Porto:

1 Casillas
21 Ricardo, 28 Felipe, 5 Marcano, 13 Alex Telles
27 Sérgio Oliveira, 16 Herrera (c), 25 Otávio
8 Brahimi, 9 Aboubakar , 29 Soares
Suplentes: 26 Vaná, 2 Maxi, 23 Reyes, 6 Paulinho, 10 Óliver Torres
(78' Otávio), 7 Hernâni , (62' Aboubakar), 14 Gonçalo Paciência , (88' Soares)
Treinador: Sérgio Conceição

Aves:
83 Adriano Facchini
2 Rodrigo Soares (47'), 26 Carlos Ponck, 44 Diego Galo (c), 17 Pedrinho
15 Tissone, 29 Falcão , 19 Braga (67'), 16 Nildo Petrolina
23 Amilton, 7 Alexandre Guedes

Suplentes: 1 Quim, 46 Jorge Felipe, 50 Mama Baldé, 10 Paulo Machado
11 Fariña , (55' Falcão), 73 Elhouni , (72' Pedrinho)
33 Derley , (81' Braga)
Treinador: José Mota

Os golos
Alex Telles e Otávio nos primeiros 11 minutos fizeram a diferença frente ao Desportivo das Aves (2-0)